Secretaria de Segurança Pública promove reunião com forças policiais para discutir armamento a ser utilizado pela futura Guarda Civil Municipal

216

Autoridades da área de segurança participaram, na terça-feira (29), na Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social, de uma reunião com o objetivo de discutirem e avaliarem demonstrações de armas de fogo e munições com o intuito de definir o armamento a ser utilizado pelo efetivo da futura Guarda Civil Municipal.

A reunião foi coordenada pelo secretário municipal de Segurança Pública e Defesa Social, Eduardo Jailton Prado Naves, e contou com a participação do comandante do 15º Batalhão da Polícia Militar local, tenente-coronel Alexandre dos Santos Silva; também do delegado da Polícia Civil, Marcos Guerini; do representante da Polícia Federal, Eduardo Stort; representante do Conselho de Segurança (Conseg), capitão Filho; representante do Conselho de Execuções Penais, Edson Ribeiro; representantes da Polícia Rodoviária Federal, Jackson José da Silva e Maicol Brito Barbosa; e o diretor da Unidade Prisional local, Danilo Guimarães.

Durante o encontro, foram avaliadas diversas armas de fogo e munições de diversos calibres. As forças policiais de Jataí foram chamadas pelo secretário municipal de Segurança Pública e Defesa Social para colaborarem na escolha das melhores armas e munições que vão fazer parte da rotina de trabalho da futura Guarda Civil Municipal de Jataí.

ARMAMENTO – Quanto aos armamentos letais, a pistola pretendida possui o calibre 380, de uso permitido de acordo com o Estatuto do Desarmamento. Os participantes da reunião optaram pela pistola Glock, modelo G25, por avaliarem ser a que mais se enquadra no trabalho da Guarda Municipal, pela sua qualidade, custo benefício e dispositivos de segurança. Mas, por ser uma pistola importada, é necessário aguardar a nova portaria que vai regulamentar a importação desse tipo de material. A portaria está prevista para entrar em vigor em março deste ano.

Se a importação desta arma for algo complicado, a segunda opção em avaliação é a pistola PT 59S, fabricada pela Taurus, uma empresa brasileira. Este armamento é utilizado pelas guardas municipais de Goiânia, Rio Verde e Cristalina, no Estado de Goiás. É um armamento mais caro, mas dentre as opções disponíveis, é o mais seguro. Já o armamento de cano longo pretendido, de calibre 12, por ser um produto importado, também é preciso aguardar a entrada em vigor da nova portaria. Apesar de as espingardas terem um padrão muito semelhante quanto a sua utilidade e segurança, optou-se por escolher um modelo com a coronha dobrável, melhorando a ação dos agentes, como nos embarques e desembarques de viaturas.

MUNIÇÕES – As munições vão ser escolhidas posteriormente, de acordo com a necessidade da Guarda Civil Municipal jataiense, optando sempre por aquelas que se enquadram na rotina de trabalho.

Quanto aos armamentos não letais ou menos que letais, dentre os não letais, a preferência é pela pistola de choque de Dispositivo de Eletro-Choque (DEC), também utilizado pelas guardas municipais de cidades goianas. Também optaram pelo aspergidor de gás de pimenta, um equipamento super efetivo segundo avaliação de organizações policiais; e o bastão retrátil ou tonfa policial. Ainda como equipamento não letal pretendido, como munição antimotim, tem as balas de borracha, utilizadas nas espingardas de calibre 12.

Outras reuniões do grupo da segurança pública devem acontecer, em breve, até que ocorra, de fato, uma definição sobre o tipo de armamento a ser usado.