A CIDADE

História de Jataí

Jataí começa sua história em setembro de 1836, quando Francisco Joaquim Vilella e seu filho, José Manoel Vilella, procedentes de Minas Gerais, entraram nos sertões do sudoeste goiano pelo município de Rio Verde, formando uma fazenda de criação de gado às margens dos rios Claro e Ariranha.

A Fazenda Ariranha foi adquirida em 26 de dezembro de 1857. Em 7 de agosto de 1864, o município de Rio Verde perde grande parte de seu território ao ser criada a Freguesia do Divino Espírito Santo de Jataí.

Em 17 de agosto do mesmo ano, o governo de Goiás publica em lei a elevação do território à categoria de distrito. Nessa mesma época Jataí vivia o clima da Guerra do Paraguai, pois sediava um depósito de abastecimento das tropas em marcha para a zona de conflito. No ano de 1875, Jataí já possuía um respeitável comércio no setor da pecuária, juntamente com a atividade agrícola, que também se despontava promissora, exercida manualmente.

Em 28 de julho de 1882, o governo da província divulga a Resolução da Assembléia Legislativa, na qual eleva a Freguesia de Jataí à categoria de Vila com a denominação de Vila do Paraíso, e foi solenemente instalada em 2 de março de 1885. Em 20 de fevereiro de 1890, a história de Jataí muda com a publicação do decreto nº 22 do governo da província, criando o município de Jataí e desligando-o de Rio Verde.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Paraíso, pela lei provincial ou resolução provincial nº 362, de 17-08-1864.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Paraíso, pela lei provincial ou resolução provincial nº 668, de 29-07-1882, desmembrado de Rio Verde. Sede na Freguesia de Paraíso. Constituído do distrito sede. Instalado em 02-02-1885.

Elevado à condição de cidade com a denominação de Jataí, pela lei estadual nº 56, de 31-05-1895.

Esta fotografia (de 1898 ou 1899) mostra os componentes da Câmara Municipal de Jataí, tendo, à esquerda, o presidente (intendente) José Carvalho Bastos. Na sequência, vemos os vereadores: Herculano José Carneiro de Mendonça, Valeriano Raymundo do Prado, José Inácio de Mello França, João de Oliveira França e Antônio José Mendonça (professor Maromba). O último à direita é o escrivão Sebastião da Rocha Cintra. Em pé, Francisco Ferreira Novato, vereador de legislatura anterior.

JATAÍ 

CIDADE DAS OPORTUNIDADES
DE NEGÓCIO E DA INOVAÇÃO

 

Jataí, uma das maiores potências do agronegócio do Brasil, é um município em plena expansão comercial, industrial, tecnológica e científica, gerando diversas oportunidades de negócio para investidores e empresas aproveitarem o seu potencial econômico e de inovação. Cidade de clima agradável, terra fértil e com uma população estimada em 98.128 habitantes (IBGE 2017), Jataí tem como lema aliar o desenvolvimento ao crescimento, nesse sentido, para expandir de forma sustentável, organizada e consistente, gerando lucros atrelados a oportunidades, inovação, progresso e qualidade de vida.
De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o município tem um alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) – 0,757 -, acima da média do país e do estado.

Jataí possui ainda o 2º IDHM Renda de Goiás, ficando atrás apenas da capital Goiânia. O Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) também é desenvolvido pela ONU e analisa fatores como longevidade, renda e educação, para expressar o poder de compra de uma cidade.

O município é um dos líderes do agronegócio brasileiro. Maior produtor de milho do Brasil, um dos maiores produtores de soja, maior produtor de leite de Goiás (3º maior do Brasil), com uma das mais modernas indústrias de etanol do mundo (Raízen), que produz também energia, a cidade investe em tecnologia e mão de obra especializada em suas diversas universidades federais (UFG e IFG), estadual (UEG) e privadas, além de ter uma logística privilegiada para escoamento da produção, pois é cortada por diversas rodovias (BR 158, BR 060, BR 364 e GO 184) que ligam Jataí aos quatro cantos do Brasil. Tudo isso colabora para que Produto Interno Bruto (PIB) per capita do município seja muito superior à média nacional e estadual.

A sua potencialidade natural e sua vocação para crescer oferecendo qualidade de vida fizeram com que Jataí espontaneamente se destacasse como polo turístico em Goiás. Ao redor de suas águas termais, que brotam naturalmente a 40ºC, lagos, parques, trilhas, rios e cachoeiras se ergueram grandes e confortáveis estruturas de clubes e hotéis, que recebem milhares de turistas todos os anos.

 

Jataí é o berço de Brasília, foi nela o primeiro comício de Juscelino Kubistchek como candidato à presidência do Brasil, momento em que assumiu pela primeira vez o compromisso de mudar a Capital Federal para o nosso Planalto Central do Brasil. Todo esse ouro histórico está bem guadado e documentado no Memorial JK, que se encontra dentro do Parque JK. Aliás, o jataiense é um apaixonado pela política, pela arte, a cultura e a história, por isso o município possui diversos museus, memoriais, casas de arte e amplos espaços públicos e auditórios.